Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Acreditar

22.02.14, Alice Alfazema

Ilustração Daniel Montero Galán

 

 

A coscuvilhice atingiu níveis globais, tornou-se a maior estrada de interacção planetária, com ela cresceram os medos e as confusões. Acreditar tornou-se um estado louco de ser. Querer acreditar é assim trocado pelo que os outros dizem. Acreditar em si mesmo é então um borrão de tinta que tem de ser aprovado. Velhice precoce da alma, e da vontade única de cada ser. Acreditar envelheceu, tornou-se apanágio de velhos e de gente martirizada. Acreditar precisa de renascer, de se tornar conduto de juventude, pão para a mesa. 

 

Alice Alfazema

6 comentários

Comentar post