Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A vida passa lá fora

09.05.21, Alice Alfazema

lá fora.jpg

A vida passa lá fora, como se nada fosse, e sinto que o meu tempo foi-me roubado nestes últimos meses, o que não fiz e queria muito fazer, se a minha vida acabasse agora estaria incompleta, provavelmente ficará sempre incompleta, mas quero que seja o mais preenchida na medida do possível. Quando somos jovens pensamos que temos todo o tempo do mundo, depois o tempo transforma-se num túnel, cada dia mais afunilado, e aí cada dia passa a valer muito mais que as vinte e quatro horas estipuladas. Deixamos de considerar como úteis tarefas que antes eram imprescindíveis, e sinto que talvez venha a valorizar as horas vazias e os dias de coisa nenhuma, pois neles completo aquilo que me falta, que é ter tempo para mim, como num final de uma maratona, que ao esforço importa apenas depois descansar. 
 
 
A vida passa lá fora,
Ou na pressa de uma roda,
Ou na altura de uma asa,
Ou na paz de uma cantiga;
E vem guardar-se num verso
Que eu talvez amanhã diga.
 
 
Poema de Miguel Torga

4 comentários

Comentar post