Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A minha casa redonda

16.03.19, Alice Alfazema

 

Ilustração  Giuseppe Sticchi

 

Se a minha casa fosse redonda não teria de limpar os cantos, nem de me preocupar em endireitar os cortinados. Subiria cada degrau como se fosse o primeiro, até chegar ao último. As mesas seriam redondas sem bicos nem esquinas. Um começo de ciclos sem fim, sempre a rodar e a rodopiar. Os dias seriam redondos e não compridos.  As noites redondas  e arejadas dadas à imaginação. Nada de esquinas em cada parede, tudo arredondado e macio, sem cortar a sensação de continuação.

 

9 comentários

Comentar post