Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A jarra e a flor

19.06.13, Alice Alfazema
  Ilustração Geninne  D. Zlatkis   Ao mundo real. Cada um é como cada qual. Os pares e os impares. O índice e o ícone. Passa uma borboleta diante de mim  E pela primeira vez no universo eu reparo  Que as borboletas não têm cor nem movimento,  Assim como as flores não têm perfume nem cor.  A cor é que tem cor nas asas da borboleta,  No movimento da borboleta o movimento é que se move,  O perfume é que tem (...)

O outro lado da ponte

22.10.12, Alice Alfazema
  Era uma vez um menino que queria atravessar uma ponte, no entanto o medo impedia-o. Tinha medo de não conseguir chegar ao outro lado, de ter vertigens, do vento, e do ruído das gaivotas. Um dia abraçou o medo e juntos chegaram a meio do caminho, e puseram-se a olhar a paisagem. Viram as gaivotas a planar, sentiram a brisa e o calor do sol, olharam o mundo com outros (...)

D. Amélia

18.02.12, Alice Alfazema
    Entrei no quarto, ela estava sentada, como de costume. O tabuleiro com a comida encontra-se cheio, não comeu nada. Os dias passam e a cena repete-se.   Ela dormita, finge que dorme - não sei. Não tem chinelos de quarto, não tem camisa de dormir, não tem robe. Tudo o que tem vestido é roupa de hospital. As suas bochechas são redondinhas, mas o seu corpo está (...)