Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Por dentro

16.04.21, Alice Alfazema
Ilustração Dariusz Mlącki    Beijo a tua voz com força. E faço cabero entendimento na simetria perfeitado que dizemos um ao outro.Sei que é só de mastros a distânciaque vai de mim a ti quando as vagasnos empurram e nós seguimos, segurosde sermos barco um no outro.  Poema de Virgínia do Carmo

Deixa...

15.04.21, Alice Alfazema
  Durante todo o mês de Março coloquei aqui poemas e fotografias que colhi perto de casa, é impressionante o quanto desconhecemos daquilo que nos rodeia, talvez porque não estejam logo ao nosso alcance, sim é preciso procurar, e fazê-lo com a devida atenção a cada pormenor. Há uma beleza sublime escondida no mundo silvestre, e um lado encantador entre cores e cheiros, numa descoberta, feita de primavera, em que as flores florescem por cores, começando pelas menos exuberantes, (...)

O dia de hoje

14.04.21, Alice Alfazema
A chuva caiu, durante quase todo o dia, de mansinho, levando frescura ao verde novo das folhas das minhas árvores. Este ano estão cheias de folhas, onde os pássaros poisam para cantar logo de manhãzinha. Por cima delas as andorinhas ensaiam os seus voos rasantes, um melro dá a despertina sempre à mesma hora. A chuva trouxe  mais cor aos telhados, deixando a descoberto o vermelho barro. Hoje o sol tirou folga, e as nuvens cinzentas e gordas andaram numa fona trazendo a água do mar (...)

(a) braços

12.04.21, Alice Alfazema
   Não é por acasoque existe um espaçoentre dois braçoslugar onde se semeiamgerminam e crescemos abraços No espaçoentre dois braçosexauram-se medos e agoniasremovem-se pedras do caminhofecundam-se sonhoscriam-se laços No espaço entre dois braçoscalam-se as vozes e os passosfalam os sentidos consentidosnasce a vertigem de coraçãocom coração sem embaraços Não não é por acasoque existe um espaçoentre dois braçoslugar onde se semeiame crescem os abraços   Poema de (...)