Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Chá de violetas (4)

Robinson Kanes

03.05.20, Alice Alfazema
  O dia hoje está tão quente que vamos beber o chá com violetas com umas pedrinhas de gelo. Este calor faz-me lembrar mergulhos e caminhadas à beira-mar, o cheiro a maresia no ar, gaivotas rasando as ondas e a fazerem inveja aos que as olham e queriam também eles ganhar asas. Assim, mesmo sem asas, hoje tenho aqui na minha sala, paisagens que muito amo, e das quais tenho imensas saudades, só (...)

Poemas em tempos de quarentena

São Salteiro

18.03.20, Alice Alfazema
Hei-de amar-te mesmo na distância!... Então pego numa porção do tempo, daquele tempo, em que ainda está perto, sinto que o tempo só existe lá fora. Além, o meu rio Sado permanece igual. E sem tempo!… a minha serra floresce no doirado das giestas indiferente ao meu tempo. Estendo os braços, e pego numa porção do tempo e deixo-me voar até ti… E não há mais tempo!…     Acaricio o teu rosto mesmo sem mãos, moldo-te no meu pensamento, e sinto tanto poder em mim que a (...)