Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Águia

30.11.10, Alice Alfazema
      À águia, que voa perto do Sol, não lhe dá cuidado saber como irá atravessar um rio tumultuoso.

Dá...

29.11.10, Alice Alfazema
Dá, sê um doador, ainda que a tua dádiva seja pequena. De uma pequena fonte nasce um rio; E com as dádivas do rio, os estuários logo derramam as suas águas, formando um mar. Do oceano, de novo, o Céu retira as suas chuvas E às fontes leva todo o seu renovado poder. E assim, levadas de volta, as dádivas circulam, E por cada bênção dada Há outra que se recebe.   Autor Desconhecido   (...)

Rio de águas claras

19.08.10, Alice Alfazema
" Conta uma lenda que existia um grupo de criaturas que viviam no fundo de um rio de águas claras. Alimentavam-se de algas e plantas. Com medo de, um dia, não terem que comer, começaram , com o tempo, a agarrar-se, com toda a força, às pedras onde ainda havia algum alimento. Agarrar-se era o seu meio de vida, e todas aprendiam a agir assim desde que nasciam. Enquanto isso, o rio passava, sereno, sobre todas elas. Um dia, no entanto, uma das criaturas decidiu deixar de se agarrar às (...)