Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Uma pergunta por dia: De onde vem a luz?

25.12.13, Alice Alfazema
  Ilustração Rona Liu   O sol está dentro de cada um. Sorrir e acreditar em si é o caminho para alcançar a luz e o brilho que irradia da própria existência e acalenta a crença em nós mesmos. Acreditemos no próprio sol, ele mora no "eu" e ilumina o tudo e o todo. A gargalhada é o sol que varre o inverno do rosto humano. Victor Hugo  

Da Arrábida

05.10.10, Alice Alfazema
  Da Arrábida   Alta Serra deserta, donde vejo As águas do Oceano duma banda, E doutra já salgadas as do Tejo: Aquela saudade que me manda Lágrimas derramar em toda a parte, Que fará nesta saudosa, e branda? Daqui mais saudoso o sol se parte; Daqui muito mais claro, mais dourado, Pelos montes, nascendo, se reparte. Aqui sob-lo mar dependurado Um penedo sobre outro me ameaça D (...)

O princípio da atracção

04.09.10, Alice Alfazema
  "Noites quentes e serenas do estio alentejano, o cheiro da atmosfera seca, a ilusão do silêncio pejado de ruídos da terra e cantos de grilos e cigarras, o céu estrelado pairando como um manto negro repleto de pontos cintilantes ou silhuetas prateadas das árvores nas noites de luar, o doce envolvimemto de um bafo cálido que convida à vigília sem pretexto...Não há nada que se (...)

Crepúsculo

03.09.10, Alice Alfazema
É quando um espelho, no quarto se enfastia; quando a noite se destaca da cortina; quando a carne tem o travo da saliva, e a saliva sabe a carne dissolvida; quando a força de vontade ressuscita; quando o pé sobre o sapato se equilibra... É quando às sete da tarde morre o dia - que dentro de nossas almas se ilumina, com luz lívida, a palavra despedida.   David Mourão Ferrreira