Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Momentos retorcidos

12.06.14, Alice Alfazema
  Se eu tivesse um tronco certamente que seria assim, retorcido. À medida que o tempo passa mais me retorço e cresço retorcidamente mais e mais. Numa busca incessante, como tantos outros que tenho lido ultimamente. Os troncos desta árvore crescem na horizontal, talvez pelo retrocedimento do tronco. Coisas da vida. Da vida de uma árvore que teima em crescer, mesmo (...)

Visão

07.04.14, Alice Alfazema
  Os meus olhos são uns olhos. E é com esses olhos uns que eu vejo no mundo escolhos, onde outros, com outros olhos, não vêem escolhos nenhuns.   Quem diz escolhos, diz flores. De tudo o mesmo se diz. Onde uns vêem lutos e dores  uns outros descobrem cores do mais formoso matiz.   Nas ruas ou nas estradas onde passa tanta gente, uns vêem pedras pisadas, mas outros, (...)

Medo

03.04.14, Alice Alfazema
  O medo é uma coisa de serventia, livra-te dele e serás outra pessoa. Livre para pensar, para agir, para te divertires, para experimentares, para colheres os frutos do teu esforço.   Alice Alfazema

Março mês da Mulher: Mulheres com mensagem

22.03.14, Alice Alfazema
  Aos 47 anos, a irmã beneditina Teresa Forcades, com formação em medicina e teologia, divide a vida no mosteiro de St. Benet de Montserrat, a uma hora de Barcelona, com uma participação política intensa, como não tem receio de dizer. É uma das caras do movimento de cidadania Procés Constituent, que está criar o modelo para um estado independente e livre do capitalismo na Catalunha.    Texto retirado daqui (...)

Março mês da Mulher: Mulheres portadoras de síndrome de Down

21.03.14, Alice Alfazema
    Débora Araújo Seabra de Moura, de 32 anos, é a primeira professora do Brasil portadora de Trissomia 21.   Seja na aula de spinning, de musculação, nas oficinas de teatro ou no trato com as crianças no trabalho como professora, Débora Araújo Seabra de Moura, prova que a inclusão é possível. Moradora de Natal, ela estudou exclusivamente na rede regular de ensino, e foi a primeira pessoa com síndrome de Down a se formar no magistério, em nível médio, no Brasil, em (...)