Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Vermelho

Setembro 16, 2012

Alice Alfazema

Não podemos adiar a vida nem os acontecimentos, à que enfrentá-los no presente. Por mais duros que sejam é no presente que têm de ser resolvidos e mesmo que hoje não dê tempo, amanhã há outro presente.

 

 

Não posso adiar o amor

 

Não posso adiar o amor para outro século 

não posso

ainda que o grito sufoque na garganta

ainda que o ódio estale e crepite e arda

sob montanhas cinzentas

e montanhas cinzentas

 

Não posso adiar este abraço

que é uma arma de dois gumes

amor e ódio

 

Não posso adiar

ainda que a noite pese séculos sobre as costas

e a aurora indecisa demore

não posso adiar para outro século a minha vida

nem o meu amor

nem o meu grito de libertação

 

Não posso adiar o coração

 

 

António Ramos Rosa, Faro, 1924




Alice Alfazema

Iniciativa

Janeiro 10, 2011

Alice Alfazema

Iniciativa divertida...Para aliviar as energias negativas da dia-a-dia.

E já que divertido é fazer aquilo que não se faz  sempre, seria bom acrescentar:

 

- Dizer Bom-Dia - às pessoas com as quais nos cruzamos todos os dias.

 

- Pedir desculpa - quando se age com indiferença.

 

- Sorrir.

 

- Respeitar os outros.

 

- Lembrar-se que o trabalho dos outros também é válido.

 

- Agradecer.

 

Haverá inúmeras...No entanto não quero ser maçadora - bastaria começar por estas, que o espaço onde vivemos, ficaria sem dúvida muito melhor.

 

Era uma vez...

Maio 06, 2010

Alice Alfazema

Era uma vez um grande rei,  que era  também um pouco disparatado. Ele queixava-se que o chão duro lhe magoava os pés, por isso ordenou que todo o reino fosse "alcatifado" com pele de vaca, para proteger os seus pés. Mas o bobo da corte riu-se desta ideia - ele era um homem muito sábio. Ele disse:

- A ideia do rei é ridícula.

O rei ficou furioso e disse ao bobo:

- Então apresenta-me uma solução melhor, senão condeno-te à morte.

O bobo disse:

- Majestade, basta mandar cortar pequenos pedaços de pele de vaca para cobrirdes os vossos próprios pés.

E foi assim que surgiram os sapatos.

 

Fábula indiana

 

Não é preciso cobrir a Terra de pele de vaca; basta apenas cobrir os seus próprios pés para que toda a Terra fique coberta. Este é o princípio da sabedoria.

 

Osho

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

O meu cão é um amor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D