Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Micro contos - Ferrugem acutilante

30.06.18, Alice Alfazema
  Ilustração Anna Paolini     Aquela sensação era pior que ferrugem, minava-a devagarinho, deixando-a com rugas amargas no rosto. Olhou-se no espelho e viu que os cantos da boca estavam virados para baixo. No coração  invadia-lhe um sentimento de ciúme. Queria ser a preferida.      Alice Alfazema

Micro contos - O lado prático

29.06.18, Alice Alfazema
  Era uma vez um menino que gostava de inventar, experimentar emoções e sentir o lado prático da vida.        E uma menina que gostava de brincar com a sombra e ver os reflexos na água.     Um dia cresceram e esqueceram-se da infância e do lado prático da vida.           Passaram então a caminhar sem parar, dia após dia. Começaram a chamar lamechas às emoções. Com o tempo foram  perseguidos pelas sombras e ficaram perdidos nos seus reflexos.              (...)

Micro contos - A vida numa bancada

17.06.18, Alice Alfazema
  A vida é assim, uma mistura de tudo. Há sempre gente surpreendida e gente que se vê perante opções de que já ouviu falar, daquelas que são dos outros. Acabamos todos em repetições.        Alice Alfazema  

Nada de nada ao fim-de-semana

09.06.18, Alice Alfazema
Ilustração  Giulia Del Mastio     Pegou no aspirador e ligou-o à ficha, entretanto foi sacudir os tapetes com força até saírem todos os vestígios de pó e outras coisas que tal. Ouviu a máquina da roupa a acabar o ciclo e foi estender a roupa, mas entretanto tinha de recolher a outra que estava no estendal. Lembrou-se então de descongelar o peixe para o almoço que estava na terceira gaveta do frigorífico. Como a bancada da cozinha estava cheia de loiça suja, deitou mãos (...)

"A amizade é amar o destino do outro" (São Tomás)

04.06.18, Alice Alfazema
Quando eu era pequena lia algumas vezes a Bíblia e fascinavam-me as história dos Santos. Para mim o Céu e o Inferno eram separados por uma pequena linha extremamente frágil. Uma linha de cristal. Que a qualquer momento poder-se-ia quebrar. Imaginava-a como uma ponte de vidro fino que teríamos que percorrer, que ora nos poderia levar ao paraíso ou ao tão temido inferno.   O percurso de vida dos santos, as suas provações e finalmente a sua conversão eram temas que me punham (...)

Micro contos - O animal quase perfeito

21.04.18, Alice Alfazema
  Ilustração  Andrew Baines     Um homem andava a passear o seu peixe de estimação. Aquele peixe era quase perfeito. Era silencioso e  muito brilhante, as suas escamas reflectiam a luz do sol e por vezes criavam um arco-íris que ondulava. O seu peixe tinha uma personalidade tranquila, só tinha um senão: gostava muito de água.     Alice Alfazema      

Naquele tempo

30.03.18, Alice Alfazema
Naquele tempo, as pessoas achavam que tinham atingido um patamar de grande inteligência. A escolaridade era obrigatória até à maioridade, havia grande facilidade de encontrar informação, os meios de comunicação eram rápidos, as pessoas possuíam segundas peles onde se apresentavam como fulano de tal, onde tinham um carro de determinada marca...naquele tempo, os valores humanos básicos eram deteriorados por causa de uns maços de notas numa qualquer instituição bancaria, (...)

Micro contos - O homem dos óculos

15.02.18, Alice Alfazema
O homem está no café, sentado num banco alto rente ao balcão, traz nas mãos um aparelho tecnológico, passa o tempo a clicar nas páginas electrónicas. No rosto uma barba grisalha, uns óculos a meio do nariz. Olha para o ecrã com um ar de sabedoria, carregando aqui e ali com a ponta do dedo indicador, ao de leve, com delicadeza, enquanto conversa com os demais ao redor. De vez em quando olha para baixo depois para cima, depois para baixo. Interrogo-me sobre o que está a ver com (...)