Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

À pesca

21.07.20, Alice Alfazema
  Ilustração  Laura Lhuillier     Enquanto eu fiquei alegre, permaneceram um bule azul com um descascado no bico, uma garrafa de pimenta pelo meio, um latido e um céu limpidíssimo com recém-feitas estrelas. Resistiram nos seu lugares, em seus ofícios, constituindo o mundo pra mim, anteparo para o que foi um acometimento: súbito é bom ter um corpo pra rir e sacudir a cabeça. A vida é mais tempo alegre do que triste. Melhor é ser.     Poema de Adélia Prado   O que (...)

As passadeiras de praia

Lugares de risco

20.07.20, Alice Alfazema
  Ilustração  Marie Mainguy   As passadeiras de praia são lugares livres da pandemia, onde o turista pode andar livremente sem máscara, mesmo que ande a meio metro de outra pessoa que não conheça, o bicho não gosta de praia, nem sabe nadar. A areia é uma enorme aliada e protege os olhos dos perdigotos que possam querer se alojar nesses orifícios.    Uma passadeira de praia nunca poderá ser considerada um lugar de risco, a não ser que haja alguma tábua solta ou partida, (...)

A última página

19.07.20, Alice Alfazema
Ilustração Irene Blasco   Sentei-me e quando me levantei era outra. Li e quando acabei de ler as minhas ideias ficaram mais fluidas. Sorri e aliviei a pressão do meu não sorriso. Naquele pedaço de tempo viajou por onde queria uma mulher sentada, parecia que não saía do lugar, enquanto folheava as páginas daquele livro que continha grãos de areia da sua praia favorita, nalgumas folhas haviam manchas de sal, daquele mar especial, podia ter posto um marcador de madre-pérola, mas (...)