Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Entre a liberdade e a igualdade

17.12.13, Alice Alfazema



Penso que os povos democráticos  têm um gosto natural pela liberdade; entregues a si mesmos, procuram-na, amam-na. Entristecem-se quando lha tiram. Mas têm pela igualdade uma paixão ardente, insaciável, eterna, invencível; querem a igualdade na liberdade, e, se não a podem obter, querem-na mesmo na escravidão. Suportarão a pobreza, a servidão, a barbárie, mas não suportarão a aristocracia.

 

 

 Alexis de Tocqueville (1805-1859)

 

 

Alice Alfazema