Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Tratamento para a depressão

27.01.13, Alice Alfazema

 


 Pintura de Marie Bashkirtseff

 

Ao lembrar-me do tratamento para a depressão ocorre-me também os tratamentos para as doenças da velhice e ainda a dependência pelos subsídios. Em todos os casos não se tratam as causas, mas apenas os sintomas. Nos três casos as pessoas são levadas a pensar que são incapazes de desenvolver capacidades para ultrapassar os seus obstáculos. Se na depressão o uso de fármacos é a alternativa, já na velhice é a própria fase da vida que é tratada como uma doença. Quanto aos subsídio dependentes a estratificação social encarrega-se de os envolver nas suas malhas levando-os a pensar que são uns incapazes. Se em todos os casos houver tendência para a depressão, qual será o tratamento para as  suas causas?

 

Se eu fosse Oxalá mandaria essa moça se vestir de cores e pintar a sombrinha com bolas coloridas. Pintaria um sorriso em seus lábios e dançaríamos ao vento. 

 

Oxalá mandaria tratar das causas combatendo os obstáculos, e diria que da vida fazem parte todos os dias, os da infância, os da juventude, os da velhice. Para cada um deles há uma sabedoria diferente. Oxalá sabe que há sempre um dia após outro, não tem pressa só tem convicção.

 

Alice Alfazema

2 comentários

Comentar post