Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Às gentes do mar

16.12.12, Alice Alfazema

 

Virgem Maria, cheia de graça,

a terra em ondas é o teu altar.

Reza-te o vento quando aí passa,

ao som das preces do velho do mar.

 

Virgem Maria, milhões de estrelas

poisam de noite no teu altar.

Servem de luzes, são tuas velas.

É teu órgão a voz do mar.

 

Virgem Maria, cheia de graça,

deixa que eu suba, deixa-me orar.

À voz do vento quando aí passa,

 

ao som das preces do velho do mar,

deixa que eu ore, dá-me essa graça;

deixa-me a bênção do teu olhar!

 

 

Arronches Junqueiro





Gosto das gentes do mar, é gente que não se lamenta.



Alice Alfazema