Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Açoteias

21.11.12, Alice Alfazema

 

 

Abro a janela sobre as açoteias.

A luz é uma indolência universal, despida.

Nos tépidos lençóis de cal varrida

Acordam estremunhadas

Do mesmo sono

Sombras pacificadas

No total abandono

Que volúpia pedia.

Minaretes alados

De fantasia,

Desabrocham no ócio dos telhados.

Na praia movediça

Onde o dia tem pressa

E a vida tem preguiça.

 


Miguel Torga




Alice Alfazema