Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Quando o futuro espreita

21
Set22

vice versa.jpg  

Ilustração Alexander Sviridov

A disciplina de História deveria ser a disciplina mais importante do universo da educação, nela podemos deter a actualidade e o passado, comparando um com o outro, vendo e aprendendo as questões e as acções que nos levaram até aqui, em todos os parâmetros do nosso quotidiano.

Vivemos hoje nas páginas da História, assim como viveram os nossos antepassados, mas a história de hoje vive-se ao segundo, tão rápida é a notícia como a não notícia, a rapidez da comunicação confunde-se com as acções vividas e cometidas, hoje já não é preciso esperar muito pelo futuro, porque o futuro está tão colado ao presente que é muito fácil confundir os dois. 

As bestas de hoje são mais rápidas, assim como é mais fácil ser-se vítima dos acontecimentos, no quotidiano a janela da oportunidade é bastante estreita, é preciso raciocínio rápido e lógico para saber distingui-la da brecha ilusória da propaganda.

 

 

Virgolinho o ET cientista social

Capitulo I

15
Set22

Virgolinho entrou na estratosfera e sentiu um arrepio nos ossos da garganta, sempre que viajava pelo buraco negro a sua garganta afunilava provocando-lhe arrepios sucessivos nos ossos côncavos que lhe seguravam a língua bífida, quando isso acontecia a língua mudava de cor, do natural verde amarelado passava a laranja florescente, Virgolinho ainda não entendia porque lhe acontecia isso, não sabia se era da euforia de voltar à Terra ou se apenas se devia à pressão a que tinha sido submetido naquela viagem.

Há muito tempo que Virgolinho se entretinha a viajar entre planetas, desde que ficara viúvo, tornara-se num estudioso da cultura existente nos vários planetas habitáveis, tinha um especial carinho pela Terra porque foi aí que a sua companheira morrera na última viagem que tinham feito juntos, tinha-a enterrado num bosque existente nos arredores de uma grande cidade, esperava  agora poder visitá-la, os corpos mortos, dos da sua raça,  tinham a capacidade de transformar-se naquilo que fossem os seus últimos pensamentos, estava curioso com o que iria encontrar. Apenas uma década passou desde então, poderia ainda não haver tempo para tal alteração, ou o sítio poderia ter sido alterado por outros. Concentrou-se a conduzir a nave enquanto observava uma nuvem rosa de flamingos que regressavam para sul. A Terra continuava sendo um planeta fascinante.