Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

#diariodagratidao 27-01-2019

27.01.19, Alice Alfazema

 

Ilustrações Linde Faas

 

Por estes dias houve um acontecimento muito importante na minha vida profissional. Já tenho falado inúmeras vezes onde trabalho e o que faço, outras tantas dei aqui a minha opinião de como o meu trabalho é visto pela sociedade e o facto de nunca ser valorizado. São anos a falar nisto, aqui e lá. Pois aconteceu que depois de tanto reclamar da forma como são vistos os auxiliares de educação, eis que assisti a um reconhecimento público do nosso trabalho como parte da equipa da escola. Podia ter acontecido desde sempre, mas vale mais tarde que nunca. Estou grata  por ter ouvido o meu nome.

 

Dia Internacional das Vítimas do Holocausto

27.01.19, Alice Alfazema

holocausto.jpg

 

A Assembleia Geral das Nações Unidas designou o dia 27 de janeiro - o aniversário da libertação de Auschwitz-Birkenau - como o Dia Internacional da Recordação do Holocausto.

 

É importante não esquecer, porque também foram as pessoas que passaram por isto que criaram a oportunidade de vivermos os dias como o temos vivido até à data, a criação do nosso quotidiano nasce da partilha e do sofrimento dessas gentes, agora que quase todos eles já se foram é relevante não esquecermos que estamos sempre a um passo de voltarmos à estupidez humana.

 

Para saber mais visite o Museu Memorial do Holocausto

 

 

 

 

 

 

Ao domingo

27.01.19, Alice Alfazema

 

Ilustração Jody Hewgill

 

É domingo as pessoas juntam-se e vão à igreja, rezam e pedem, algumas agradecem. A catequista está lá presente para orientar as crianças. Está um dia de muito frio, de nuvens cinzentas e de vento agreste. As pessoas têm casacos quentes e sorriem. O frio arrepia-me  a pele. Como sempre reparo que os fiéis estacionam os carros em cima do passeio, ocupando todo o espaço de passagem de quem vai a pé. Têm estacionamento a cinquenta metros, mas é  demasiado para andarem com os sapatos domingueiros. batem com a mão no peito e repetem orações. É bom estar debaixo daquele telheiro. A catequista voltará às suas cusquices de maldizer semanais, agora é apenas um intervalo. Bom domingo!

 

 

 

#diariodagratidao 26-01-2019

26.01.19, Alice Alfazema

a cama toda para mim.jpg

 

Ilustração Pedro Leite

 

Já há muito tempo que procurava uma imagem como esta para ilustrar aqui um pouco do meu quotidiano. É raro o dia em que não acordo assim, não sei como consigo ficar com a cama toda para mim. O pior é que quando acordo assim dá-me vontade de rir. Os psicólogos terão teorias sobre isto,  quanto a mim sinto-me grata por me deixares 80% da cama, para que o meu descanso seja deveras proveitoso. Sinto também que evoluí, pois em criança costumava acordar com os pés no travesseiro.