Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Namorar

14.02.17, Alice Alfazema

 

Ilustração Leandro Lamas

 

Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
até desabrochar em puro grito
de orgasmo, num instante de infinito?

O corpo noutro corpo entrelaçado,
fundido, dissolvido, volta à origem
dos seres, que Platão viu completados:
é um, perfeito em dois; são dois em um.

 

 

 

 

 Carlos Drummond de Andrade, in O Amor Natural

 

 

Alice Alfazema

Conversas da escola - Anjinhos-papudos

13.02.17, Alice Alfazema

 

 

Uma miúda o 5º ano aproxima-se do balcão do bufete, custa a chegar lá acima, é branquinha bochechuda e tem duas rosetas de rosa vivo na face:

- Contina, faz-me uma torrada?

- Estás a ter feriado?

E com aquele olhar de anjo-papudo continua:

- Sim, mas sabe...eu esqueci-me da carteira em casa e não tenho dinheiro, a minha mãe daqui a nada vem buscar-me e depois eu venho aqui pagar-lhe, dá-me uma torrada?

- Está bem...

Cerca de quarenta minutos depois...uma professora diz-me:

- Então D. Alice andou a fazer torradas para as minhas alunas?

- Estavam em aulas?

- Sim.

- Ela disse-me...

 

 

Alice Alfazema