Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Com um caneco

05.02.17, Alice Alfazema
Fui uma noite pintar
Com um caneco emprestado;
Eu pintei sem reparar,
Pintei e fiquei pintado.

 

 

 

Ilustrações Emzari Kiknavelidze

 

 

Eu comecei com jeitinho
A compor o ramalhete;
Primeiro foi com azeite
E depois foi com cuspinho.
No começo era estreitinho,
Custava o pincel a entrar...
Começa a dona a gritar:
"Não me parta a tigelinha",
Mas que coisa engraçadinha,
Fui uma noite pintar...

 

Comecei devagarinho...
Quando fui ao outro mundo
Meti o pincel ao fundo
E parti o canequinho.
Até mesmo o pincelinho
Veio de lá todo pintado,
Eu já estava desmaiado,
Perdendo as cores do rosto;
Mas pintei com muito gosto
Com um caneco emprestado.

 

 

 

Vem a mãe toda zangada:
"Tem que pagar-me a vasilha...
No caneco da minha filha
Não pinta você mais nada...
...Lá isto, a moça deitada,
Sem poder levantar-se,
Com tanta tinta a pingar
No lugar da rachadela!..."
"Diga lá, que desculpe ela,
Eu pintei sem reparar!"...

 

Pra que vejam que sou pintor
E meu pincel nunca deixo;
Pra que saibam que o Aleixo
Não é somente cantor...
Também pinto qualquer flor
E faço qualquer bordado;
Mas aqui o ano passado,
Perdi, de pintar, o tino...
Fui pintar, fiz um menino,
Pintei e fiquei pintado. 

 

 

Poema de António Aleixo, poeta popular português nascido no Algarve em 18 de Fevereiro de 1899, poeta irónico e um crítico social da sua época, ver mais em Poet'anarquista.

 

 

Alice Alfazema

A chuva é uma coisa vulgar?

04.02.17, Alice Alfazema

Ilustração Hajin Bae

 

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudade
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

 


Há gente que fica na história
Da história da gente
E outras de quem nem o nome
Lembramos ouvir


Ilustração  Roman Muradov

 


São emoções que dão vida
À saudade que trago
Aquelas que tive contigo
E acabei por perder


Há dias que marcam a alma
E a vida da gente
E aquele em que tu me deixaste
Não posso esquecer


Ilustração Anton Yakutovych

 



A chuva molhava – me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera
Ai, meu choro de moça perdida
Gritava à cidade
Que o fogo do amor sob a chuva
Há instantes morrera


A chuva ouviu e calou
Meu segredo à cidade e eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade

 

 

Poema de (clique para ouvir) Jorge Fernando

 

 

 

 

Alice Alfazema

 

Greve Nacional Pessoal Não Docente

03.02.17, Alice Alfazema

Hoje é dia de greve do pessoal não docente que trabalha nas escolas. Muitas escolas estão fechadas, outras estão a meio gás. A maioria das pessoas que lá trabalham ganham o ordenado mínimo nacional, independentemente de trabalharem há muito ou à pouco na função. A carreira existente é a de assistente operacional, ou vulgarmente chamada de "pau para toda a obra". O protesto dos trabalhadores é um grito mudo. Há muita gente desmotivada, que há muito deixou de acreditar, as pessoas desmotivadas são presas fáceis da precariedade... 

 

Ontem uma mãe disse à porta da escola  que nós funcionárias éramos muito espertas, porque tínhamos marcado a greve para a sexta-feira...portanto aquilo que se passa é que os funcionários são muito espertos e querem mais um dia de feriado, que até ganham bem para poderem dispensar um dia de trabalho.

 

Assim, o que interessa é ter o portão da escola aberto, para que os meninos entrem e por aí fiquem, não interessa em que condições isso se faz. A escola, também, serve muitas vezes de ATL, pois muitos entram várias horas antes de terem aulas, as explicações são muitas: não têm transporte, não têm ninguém em casa, apetece-lhes pelo convívio...

 

A maioria dos pais não exige saber quantos funcionários tem a escola, não sabe se é ou não cumprido o rácio, essa preocupação apenas existe nas escolas primárias, onde a faixa etária é menor, aqui onde coexistem idades entre os nove anos e os dezoito de idade essa exigência é praticamente inexistente, houve apenas uma exigência de que a escola fosse aberta mais cedo que o horário escolar, para que os meninos não ficassem sozinhos à porta da escola, isso implica que funcionários venham mais cedo, mas que também saiam mais cedo durante o período de aulas.

 

Quero acrescentar que os meninos com necessidades educativas especiais deixam de ter essas necessidades assim que saem da sala de aula. Depois vem a unidade de multideficiência que é outra vertente por desvendar...

 

 

 

Alice Alfazema

 

 

Viver é um vício?

02.02.17, Alice Alfazema

As aparências manipulam a tua vida, directa ou indirectamente?

01.02.17, Alice Alfazema

 

Ilustração Budi Kwan

 

 

Às vezes somos apanhados nas redes dos outros, tornamo-nos unicórnios sem querer.

 

"O unicórnio, através da sua intemperança e incapacidade de se dominar, e devido ao deleite que as donzelas lhe proporcionam, esquece a sua ferocidade e selvajaria. Ele põe de parte a desconfiança, aproxima-se da donzela sentada e adormece no seu regaço. Assim os caçadores conseguem caçá-lo."

 

 

Alice Alfazema

 

 

 

Pág. 4/4