Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Esticando a perninha

29.05.15, Alice Alfazema

 Pintura Paul Kelley

 

O respeitoso membro de azevedo e silva
nunca perpenetrou nas intenções de elisa
que eram as melhores. Assim tudo ficou
em balbúrdias de língua cabriolas de mão.

 

Assim tudo ficou até que não.

 

Azevedo e silva ao volante do mini
vê a elisa a ultrapassá-lo alguns anos depois
e pensa pensa com os seus travões
Ah cabra eram tão puras as minhas intenções

 

E a elisa passa rindo dentadura aos clarões.

 

 

 

Alexandre O’Neill

 

 

 

Alice Alfazema

Refrescante

28.05.15, Alice Alfazema

Fotografia e receita daqui.

 

Encontrei este poema alentejano, penso que fica muito in com este lindo bolinho, a poesia satírica é como o limão, dá para várias coisas. Espero que gostem. A receita é fácil, os limões estão baratos e o bolo faz um figuraço. Divirtam-se. Dica secreta: se os vossos  limões forem muito azedos, acrescentem o açúcar a gosto. :)

 

Atirê um limão rolando...
À tua porta parou...
Depois fiquei pensado...
Será que o cabrão se cansou???

À entrada da tua porta plantê
Um raminho de hortelã!
O qué qui achas desta quadra
Hãããã???

Subi a um êcaliptre
com o tê retrato na mão
Desencaliptrê-me lá de cima
Malhê com os cornos no chão!!!

Perdi a minha caneta
Lá prós lados da várzea
Se lá fores e a vires....
"Trázea!"

 

Poema retirado de Orgulho de ser alentejano.

 

Para todos aqueles que me têm mandado mensagens, telefonemas e beijinhos, mando daqui um enorme abraço. Obrigada pelo carinho.

 

 

Alice Alfazema