Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Manhãs de domingo

27.10.13, Alice Alfazema

Pega na bicicleta de marca, coloca na cabeça o lenço que comprou na loja da especialidade, depois enfia o capacete. Faz-se à estrada, que a bicicleta está equipada para o alcatrão, na via encontra o pessoal amigo. É domingo. Está sol. A malta pedala em fila indiana, por vezes alguém sai da fila para conversar com outro compincha. Na broa aí vão eles, percorrendo o asfalto e exibindo o equipamento. Belas cores desfilam nesta manhã de domingo. Fazem a curva na perfeição. As horas passam descontraídas, os músculos já doem, está na hora de voltar a casa.

 

- Isabel, o que fizeste para o almoço?

- Feijoada.

 

Senta-se, ajeita a barriga, e saboreia com calma a suculenta feijoada, daqui a oito dias será outra vez dia de pedalar.

 

Alice Alfazema

 

Uma pergunta por dia: Os velhos têm mais genica que os novos?

26.10.13, Alice Alfazema


Fotografia Beaudenon Florian


A minha avó era assim como a senhora desta foto, sempre de sorriso no rosto, talvez eu tenha herdado isso. Gostaria de ter a mesma genica que a movia. Gostaria, também, de poder voltar a abraçá-la e de receber essa energia que emanava dela, de sentir as suas bochechas cheias de rugas e de lhe fazer arroz doce.


Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.


Alice Alfazema