Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Metades

31.10.13, Alice Alfazema



Metade de mim é fada,
a outra metade é bruxa.
Uma escreve com sol,

 

 

 

a outra escreve com a lua.
Uma anda pelas ruas
cantarolando baixinho,
a outra caminha de noite
dando de comer à sua sombra.
Uma é séria, a outra sorrí;
uma voa, a outra é pesada.
Uma sonha dormindo, 
a outra sonha acordada.

 

Roseana Murray, in Pêra, Uva ou Maçã, ed. Scipione, 2005



 

Alice Alfazema

Uma pergunta por dia: O que é o Outono?

29.10.13, Alice Alfazema
 

Outono,

simplesmente constacto

a mudança de estação,

nada de sonhos extravagantes

ou outros desejos ocultos

apenas a chuva que cai

a devorar o Verão!

Através da varanda

da cozinha ancestral

sinto os ventos

esgaçando folhas sangue,

amarelo cera,

castanho terra,

adubando a cama

onde hiberna a Natureza!

De repente o silêncio

até à fecundação

que se dá na Primavera!

O sol viril

será pai

de todos os frutos

pendurados nas árvores

pungentes

do pomar!


 


 

 


Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.

 



Alice Alfazema

Manhãs de domingo

27.10.13, Alice Alfazema

Pega na bicicleta de marca, coloca na cabeça o lenço que comprou na loja da especialidade, depois enfia o capacete. Faz-se à estrada, que a bicicleta está equipada para o alcatrão, na via encontra o pessoal amigo. É domingo. Está sol. A malta pedala em fila indiana, por vezes alguém sai da fila para conversar com outro compincha. Na broa aí vão eles, percorrendo o asfalto e exibindo o equipamento. Belas cores desfilam nesta manhã de domingo. Fazem a curva na perfeição. As horas passam descontraídas, os músculos já doem, está na hora de voltar a casa.

 

- Isabel, o que fizeste para o almoço?

- Feijoada.

 

Senta-se, ajeita a barriga, e saboreia com calma a suculenta feijoada, daqui a oito dias será outra vez dia de pedalar.

 

Alice Alfazema

 

Uma pergunta por dia: Os velhos têm mais genica que os novos?

26.10.13, Alice Alfazema


Fotografia Beaudenon Florian


A minha avó era assim como a senhora desta foto, sempre de sorriso no rosto, talvez eu tenha herdado isso. Gostaria de ter a mesma genica que a movia. Gostaria, também, de poder voltar a abraçá-la e de receber essa energia que emanava dela, de sentir as suas bochechas cheias de rugas e de lhe fazer arroz doce.


Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.


Alice Alfazema

Pág. 1/4