Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Produtos de Portugal (33)

20.10.12, Alice Alfazema





Estávamos a 15 de Janeiro de 1968 quando três empresários portugueses se juntaram para fazer nascer a Lusiteca -Transformação e Embalagem de Produtos Alimentares, S.A.R.L.


Em Junho de 1970 foi criada uma estrutura de vendas para comercializar a gama existente de confeitaria em todo o país, sendo que também neste ano foi realizado o lançamento dos famosos caramelos de Nata. Seguiu-se em 1973 o lançamento dos caramelos de fruta e dos chupas. O ano de 1975 foi famoso, assistiu-se ao nascimento da pastilha elástica Gorila, sabor tutti fruti ,  menta e em 1979 é lançado o sabor de banana. Gorila é hoje a marca pilar da CIA. Dois anos mais tarde, 1981 a Super Gorila é fabricada pela primeira vez com o sabor tutti fruti e menta, o sabor de morango surge em 1983 e em 1986 o sabor laranja. Os caramelos de fruta Circo surgem em 1988.


Hoje, com mais de 150 colaboradores efectivos, é com orgulho que assume o lugar de maior empresa de confeitaria em Portugal, de capital privado 100% português.A qualidade dos nossos produtos e a excelência da nossa produção levou-nos a ser preferidos para produzir para varias marcas de grande prestígio e ser continuamente solicitados para desenvolver produtos personalizados. A Lusiteca desenvolve continuamente processos de inovação e modernização em todas as linhas de actuação, procurando responder às necessidades do mundo moderno nos vários mercados. A aposta estratégica do presente e no futuro é nas pessoas e nas marcas, que são a garantia de poder alcançar muitos mais anos de êxitos.


Ver mais em: Lusiteca




Alice Alfazema

Expulsaram-me de mim

19.10.12, Alice Alfazema



Talvez sejas a breve 
recordação de um sonho 
de que alguém (talvez tu) acordou 
(não o sonho, mas a recordação dele), 
um sonho parado de que restam 
apenas imagens desfeitas, pressentimentos. 
Também eu não me lembro, 
também eu estou preso nos meus sentidos 
sem poder sair. Se pudesses ouvir, 
aqui dentro, o barulho que fazem os meus sentidos, 
animais acossados e perdidos 
tacteando! Os meus sentidos expulsaram-me de mim, 
desamarraram-me de mim e agora 
só me lembro pelo lado de fora. 


Manuel António Pina


1943 - 2012



Alice alfazema