Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Produtos de Portugal (25)

24.01.12, Alice Alfazema

 

 

 

Fundada em Janeiro de 1957 a pastelaria Alcôa ao longo dos seus mais de 50 anos de existência tem procurado a conservação e divulgação das receitas dos doces conventuais, com origem no mosteiro de Santa Maria de Alcobaça e no mosteiro de Cós.

 

A pastelaria Alcôa procura desenvolver a conservação e divulgação das receitas dos doces conventuais efectuadas pelos monges que habitaram a região de Alcobaça, nomeadamente os monges cistercienses.

Temos como missão a qualidade, que resulta da implementação das mais inovadoras normas alimentares e dos segredos bem guardados das receitas históricas dos doces conventuais.

Agradecemos aos confidentes destas receitas que confiaram em nós para continuar o legado dos monges cistercienses.

Ver mais em: Pastelaria Alcôa

 

 

 

 

 

 

 

 

Reflexos

20.01.12, Alice Alfazema

 

 

 

Todos os dias são oportunidades de recomeçar e de voltar a utilizar a nossa imaginação e criatividade. Assusta-me o facto de essa criatividade estar a ser desperdiçada em função da obediência aos mercados, essa doutrina imposta e impostora.

 

Sendo nós seres emocionais como nos podemos apoiar apenas na doutrina do dinheiro? É ele também emocional? Se o fosse nasceríamos com algum nos bolsos, afinal, todos nascemos nus e sem bolsos, e todos morremos serenos e frios, onde fica a emoção do dinheiro no meio disto tudo, que benefícios emocionais poderei encontrar se estiver sem a minha família mas com os bolsos cheios de dinheiro?

 

Quem lida diariamente com crianças sabe que aquilo que lhes faz mais falta para o seu crescimento saudável não é a entrega de dinheiro aos filhos é a entrega de amor, de tempo, de carinho, de atenção, então, porque se volta sempre, e sempre e cada vez mais a apostar no dinheiro?

 

(Sinto-me carta fora do baralho, revistas televisões, opiniões, isto e aquilo, tudo ladeado pelo dinheiro, obrigada a seguir uma doutrina que não quero, sinto-me tão fora...)

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

A princesa Inês

16.01.12, Alice Alfazema

 

 

O baloiço está vazio e a princesa Inês está numa cadeira de rodas, presa no seu mundo, no seu reino de fantasia que só ela conhece, que só ela sabe...e nós olhamos para ela e pensamos que de repente ela se levanta e corre, mas não, ela sorri, e as suas mãos retorcidas não pegam em nada, não abraçam nada, só gesticulam para cá e para lá. Nunca andou de baloiço, nunca pulou, nunca abraçou... esta princesa sem reino, criança diferente, presa nas garras do silêncio, sobe e desce a cabeça e sorri, e sorri, e sorri. Meus problemas não são nada, comparados a este reino, e os teus? serão importantes perante a necessidade constante de reclamares da vida?

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema