Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Desta Margem

28.08.10, Alice Alfazema
 
Desta Margem

Desta margem
D'onde o céu se abre largo
Em arco sobre o rio
A esta hora
Em que o tempo hesita e pára
Deixando-se ficar
A esta hora
Tão singular
De mágicos torpores
Estendo os olhos
Bebo aos meus amores
E deixo-me levar

 

Deixo-me ir
À flor das águas
Assim como que vai,vai
Tão tranquilo
Sem destino
Enquanto a noite cai
Como quem
Sem outro rumo
Ou direcção
Se deixasse assim levar
P'lo coração

 

Vai de viagem
Ninguém sabe p'r'onde vai
Vai sem bagagem
Nem direcção
Sai sem destino
Quando a noite cai
Sobre esta margem
Do coração

 

A esta hora estranha hora
Em que tudo pára
Só minh'alma teima e voa
Do meu peito pra fora

 

Deixo-a ir
Na maré
De outras fantasias
Já se perde
Na espuma de outros
Noutro lugar.

 

 

 

Composição: Paulo gonzo