Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Azarelho

13.04.12, Alice Alfazema

 

 

Havia um rei que, quando fazia prisioneiros, não os matava; levava-os para uma sala onde havia um grupo de arqueiros, num canto, e uma imensa porta de ferro, noutro, com figuras  de caveiras cobertas de sangue. Dizia aos prisioneiros:

- Vocês podem escolher entre morrer alvejados pelos meus arqueiros ou entrar naquela porta e ficarem lá trancados.

Todos os que por ali passavam preferiam ser mortos pelos arqueiros. Um dia, um soldado perguntou ao rei:

- O que há por trás daquela porta?

- Vá e veja você mesmo - respondeu o rei.

O soldado então abriu, vagarosamente, a porta e percebeu que, à medida que o fazia, raios de sol iam entrando e clareando o ambiente, até que, quando ela estava totalmente aberta, notou que dava acesso a um caminho que levaria à liberdade quem por ali passasse. O soldado ficou espantado, e o rei disse:

- Eu dou a todos a possibilidade de escolha, mas todos preferem morrer a arriscar abrir esta porta.

 

in, O que podemos aprender com os gansos, Alexandre Rangel

 

 

 

 

Oportunidades...

 

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

2 comentários

Comentar post