Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Relógio

19.02.12, Alice Alfazema

 

Olha o relógio! Quantas horas ele contou, e os tempos que já viu...

Para ele nada é estranho.

Tem a rapidez dos segundos. 

O tormento dos minutos.

A vagareza das horas.

O ciclo dos dias. E o passar dos anos.

Já chegou a contar séculos. Já viu vestes e maneiras diferentes de falar.

Por ele já passaram guerras.

Anunciou mortes e nascimentos.

Conta o tempo e não o desperdiça...

Para ele não há tempo perdido, apenas tempo contado.

 

 

 

Alice Alfazema