Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Todos os seres humanos

07.02.12, Alice Alfazema

 

Todos os seres humanos nascem nus, em todos os sentidos. Não trazem consigo senão a sua estrutura biológica similar aos outros seres humanos e muito parecida com a de alguns animais. São seres biológicos com uma capacidade de aprendizagem que é diferente da dos animais. Os seres humanos nascem simples seres biológicos, e devido a essa grande capacidade de aprender, torna-se pessoa, que não é mais do que indivíduos socializado.

No entanto, outros animais também possuem esta capacidade só que a sua capacidade de aprendizagem é limitada. O caso das crianças selvagens e das extremamente isoladas leva-nos a pensar o seguinte: o facto de constituirmos um ser biológico portador de uma herança caracterizada por grande capacidade de aprender não chega. É necessário que a utilizemos e isto faz-se com a ajuda dos outros membros do grupo. Só desse modo nos tornamos pessoas integradas num sistema, num corpo que é a sociedade, sendo o que faz sobressair a sociedade humana das outras. Passa pela posse de uma cultura que se transmite a cada indivíduo que nasce, que se recebe e transmite às gerações vindouras e que possui ainda a característica de se auto-regular.

 

 

Olga Magano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

1 comentário

Comentar post