Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Violência domestica(da)

25.11.11, Alice Alfazema

 

 Pintura de LA Pataias

 

 

Não tenhas medo, aquilo que sofres agora é maior do que aquilo que irás sofrer se desistires do teu silêncio;

 

Os teus filhos não sofrerão tanto como agora.

 

É no presente que se escreve o futuro e o teu começa agora.

 

Fingir não é solução, indiferença quanto ao tema é  a anulação da própria vida, ninguém merece viver isso. Há um mundo por descobrir e tu mereces estar nele, independentemente do nome que tenhas, da tua idade, do teu sexo, da tua classe social, da tua profissão; esquece o medo e vive a tua liberdade, procura ajuda, conversa e não finjas que está tudo bem - coragem.

 

Quem vive no medo está esfomeado de alegria, atreve-te a ser quem tu mais queres - sê dono de ti, ouve-te e liberta-te - vale a pena lutar pelo que queremos, pois a recompensa é a descoberta do teu eu ouve-te - ama-te, mais ninguém te merece tanto como tu, usa a tua coragem e começa - hoje.

 

Abraço

 

 

 

 

Alice Alfazema

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Alice Alfazema

    26.11.11

    Este texto é dirigido a quem dele precisa...
    Bom fim de semana.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.