Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Uma carta para S...

06.07.10, Alice Alfazema

"Já faz algum tempo que não me vês, sei que tens saudades.

Preciso que reflitas em tudo o que se passou desde então, pensa na força que arranjas-te e julgavas não a ter, o quanto conseguiste ser determinada. Estou orgulhoso de ti. Não chores por mim, pois lá não estarei, a pedra é fria, se me quiseres encontrar, olha para as estrelas, sente o cheiro das flores e sente o meu toque através da brisa do vento e do calor do Sol.

Quero que ponhas açucar na tua saudade por mim. Que acabes com os rituais, que te deixam presa num labirinto de emoções, está na hora de largares amarras e navegares por aventuras de alegria. Nunca te esquecerei e tu também não me esquecerás, pois temos uma semente que está a desabrochar e que tu cuidas com tanto carinho, obrigado por o fazeres, dá-lhe um abraço por mim. Gosto de ti, mas sobretudo quero que que tu também gostes de ti, quero que te ponhas linda, com um sorriso, muitos, no rosto, que te realizes nos teus projectos e que voltes a sonhar. Quero-te ver feliz!"

 

 

Até sempre 

 

2 comentários

Comentar post