Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Cheiro

Agosto 12, 2017

Alice Alfazema

 

Ilustração Andrea Rivola

 

Acordei com um horrível cheiro a queimado, abri a janela e lá fora havia fumo e cheiro de árvores mortas, detesto este cheiro a morte. Por todos os jornais existem notícias dos incêndios que assolam o país. Dizem que são consequência da seca severa da qual somos vitimas. Depois há os que referem que mãos criminosas divertem-se a atear fogos. E os que falam das consequências das alterações climáticas. E os que falam sobre os números da economia que beneficia disto e os outros que referem aqueles que têm perdas com isto. E há também os que reflectem sobre o que poderíamos fazer para alterar toda esta situação. Todos os anos é assim. Muito se fala, muito se escreve, nada se faz. Detesto este cheiro a morte.

 

 

Alice Alfazema

Micro contos - Naquela casa

Junho 22, 2017

Alice Alfazema

casa.jpg

 

 

Era uma vez uma casa, quem morava lá era muito feliz, sorriam muitas vezes durante o dia, tiravam muitas fotografias e estavam sempre atentos às noticias do momento. Todos os que moravam naquela casa tinham opinião sobre todos os assuntos, eram convictos naquilo que diziam, verdadeiros, activos nas mensagens de partilha. Havia o mundo deles e o mundo dos outros. O mundo deles era aquela casa. 

 

 

Alice Alfazema

Uma pergunta por dia: Quantos analfabetos políticos andam por aí?

Novembro 09, 2014

Alice Alfazema

 Ilustração Marsha Gray Carrington

 

Retirado daqui.

 

O pior analfabeto é o analfabeto  político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos: o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo. 

Bertold Brecht, 1898-1956
 
 
 

Uma pergunta até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.

 

Alice Alfazema

 

Março mês da Mulher: Mulheres com mensagem

Março 22, 2014

Alice Alfazema

 

Aos 47 anos, a irmã beneditina Teresa Forcades, com formação em medicina e teologia, divide a vida no mosteiro de St. Benet de Montserrat, a uma hora de Barcelona, com uma participação política intensa, como não tem receio de dizer. É uma das caras do movimento de cidadania Procés Constituent, que está criar o modelo para um estado independente e livre do capitalismo na Catalunha. 

 

Texto retirado daqui, onde poderão ler a entrevista completa à irmã beneditina Teresa Forcades, surpreendam-se.

 

Fotografia daqui, aproveitem e vejam o seu programa político.

 

Alice Alfazema

O milagre do Tua

Maio 12, 2013

Alice Alfazema

Um filme de António Castelo, realização e edição de João Vasconcelos

 

Porquê um filme sobre o Vale do Tua?


Porque é demais. A ideia surgiu de mim e do João Vasconcelos, realizador e editor do filme. A barragem é um atentado  grave demais para passar sem se falar. A tragédia ambiental é enorme. Toda a zona do Vale do Tua tem uma biodiversidade enorme, é um corredor de passagem para espécies emblemáticas nacionais, como o lobo, a corça ou o veado.
A nível patrimonial há a Linha do Tua, que é um recurso turístico importante e cuja revitalização poderia trazer uma nova dinâmica a toda a zona.

 

Mas, ainda assim, a construção da barragem avança...


O problema é que os interesses económicos de alguns estão acima dos interesses do país. Há meia dúzia de pessoas que quer que aquilo aconteça: a EDP, os donos das construtoras, quem fez o projecto e quem faz com que ele não pare. Tem havido várias propostas no Parlamento para impedir a construção da barragem. E têm sido apresentadas outras soluções, melhores para o ambiente e mais baratas que têm sido rejeitadas.

 

 

Acredita que é possível ?

 

 

Acho difícil. Tinha de haver um envolvimento maior da sociedade civil. Eu tinha sempre de fazer este filme e as pessoas que lutam contra isto fazem porque tem de ser feito, tem de ser dito. Mas há interesses muito poderosos e se não houver um maior envolvimento de todos, será muito difícil.


Ler mais em Visão Sapo 

 

 

                                                                                                               Alice Alfazema

Jovens

Abril 23, 2012

Alice Alfazema

 

 

Há sol brilhante

no horizonte

para que avances

sem medo na escuridão.

 

Nas tuas mãos jovens,

um mundo para inventar...

nos teus pés ligeiros,

caminhos para rasgar...

 

José Bilro

 

 

Quando te sentes cansado reflete e procura a origem desse cansaço. Procura na tua energia a saída para poderes seguir. Não faças da crise uma bandeira, um rol de lamurias - diz adeus ao que conheces e aventura-te na tua criatividade. Sê parte de uma sociedade civil ativa e empreendedora é aí que reside o sucesso, deixa a resignação morrer.

 

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

O meu cão é um amor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D