Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Bom dia ;)

bicicleta.jpg

 

Lá vai a bicicleta do poeta em direcção
ao símbolo, por um dia de verão
exemplar. De pulmões às costas e bico
no ar, o poeta pernalta dá à pata
nos pedais. Uma grande memória, os sinais
dos dias sobrenaturais e a história
secreta da bicicleta. O símbolo é simples.
Os êmbolos do coração ao ritmo dos pedais —
lá vai o poeta em direcção aos seus
sinais. Dá à pata
como os outros animais.

 

 

Poema de Herberto Helder

 

 

Alice Alfazema

Mar

 

Ilustração Adolfo Serra

 

Não sei viver sem o mar, nunca estive muito tempo sem o ver, sem sentir o seu odor, sem o ouvir. Gosto do seu sabor. Das águas calmas e das revoltas, da espuma. Tenho saudades dele. Muitas. 

 

Boa semana!

 

 

Alice Alfazema