Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

A liberdade

Ilustração Lucía Franco

 

Tenho um cavalo de pau, coberto com bolinhas azuis, cavalgo nele como quem anda nas nuvens. Balanço-me em grande velocidade, tenho penas nos cabelos e sou veloz. O pássaro sussurrou-me ao ouvido que os dias estão mais longos, tenho mais tempo para me deliciar no meu baloiço. Deixei os meus sapatos a descansar, estão leves de mim, os meus pés estão libertos da prisão. Sinto a Liberdade pairar em cada bola, em cada balanço, em cada pena, está por todo o lado, libertou-se.

 

Alice Alfazema

 

À beirinha

espuma.JPG

 

É lá que quero morar,

À beira-mar.

Onde o verde vira azul,

O azul bate na duna,

Para voltar

Branco de espuma.

 

É lá que quero morar,

À beira-mar.

Até ficar 

Com algas a ondular

Entre os cabelos,

Com pele de areia.

Até te chamar

Com voz de sereia.

 

Luísa Ducla Soares

 

 

Alice Alfazema

 

 

 

 

Bom dia! E Deus criou o milho...

E vieram as galinhas e paparam-no todo, claro que alguns cocorocós machos também o fizeram, o problema do milho é que não sabemos quando ele é transgénico ou não.

 

Respondendo ao desafio da Gaffe este blog vai passar a ter uns apontamentos de testosterona, como isto ainda está de inicio e nem sei quem é o rapaz, fica aqui este - Bom dia, com um bocadinho de cor à mistura, se é transgénico ou não também não sei. No entanto parece-me que as calças têm um bom corte.

 

Alice Alfazema

 

 

 

Pág. 1/3