Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Uma pergunta por dia: As lágrimas da pobreza são salgadas?

Setembro 29, 2013

Alice Alfazema

 

Imagem do Público

 

Neste ambiente de blogues a pobreza não existe, assim como não existe a fome, o mau cheiro, a desarrumação, o cheiro da gansas, as pulgas, os gritos, o desespero. Esse é um ambiente dos outros, que tem apenas a culpa dos próprios. As caras marcadas pelas rugas profundas não existem aqui, tal como não contam para o Estado. A reinserção social é uma fraude de plasticina, que pode ser moldada a gosto, sem regras, sem caminhos que levem ao aconchego.

 

Aqui as notícias de domingo têm menos importância mas a pobreza existe todos os dias. As lágrimas da pobreza são um mar de culpas, uma tristeza profunda de quem não conseguiu, da impotência diária, da dor, de um caminhar arrastado que procura soluções no álcool, na droga, na violência...pensar que a culpa é deles é um argumento baixo em inteligência, corroído pela inexperiência e ignorância profunda da sociedade. Um país que investe em pobreza é um país fraco em termos de valores e igualdades de oportunidades e a culpa é de todos. 

 

Bom domingo...(e votem em consciência).

 

 

Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.

 

Alice Alfazema

Prisão

Setembro 28, 2013

Alice Alfazema

 

Por vezes há prisões que parecem vidas normais. Temos asas, temos espaço, temos gente à nossa volta, mas estamos presos ao dia-a-dia aos conceitos, ao emprego, aos compromissos e às tradições.

 

Alice Alfazema

Uma pergunta por dia: Como ser elegante e ter boas maneiras com o pessoal doméstico?

Setembro 28, 2013

Alice Alfazema

Empregados internos ou externos que se ocupam das tarefas domésticas do dia-a-dia. A forma de tratamento é o respeito recíproco. Chamam-se pelo nome e tratam os donos da casa por senhor ou senhora. No tratamento com as crianças da casa deve excluir-se o tu de parte a parte. O pessoal doméstico deve ser bem preparado e ter tarefas bem definidas, de forma a não serem necessárias observações, ralhetes ou dar ordens na presença de visitas. 


 Paula Bobone, Dicionário de etiqueta


Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.


Alice Alfazema

Uma pergunta por dia: As pessoas passaram a ser um contratempo (tal como a Constituição)para o país?

Setembro 26, 2013

Alice Alfazema


São como a constituição
As pessoas deste povo
Fruto duma revolução
E um contratempo novo

Vamos revê-las então
Por maioria qualificada
Ambas assim passarão
A não significar nada

Teremos caminho aberto
Para a reforma do estado
Passando a ser bestial

O caminho descoberto
Para agradar ao mercado
Destruindo o social.


Poeta Zarolho



Uma pergunta por dia até ao final do ano, quem quiser responder esteja à vontade.

 

Alice Alfazema

A música com esquema visual

Setembro 25, 2013

Alice Alfazema

Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo



 

 

 

Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo

 

 

 

 

 

Era uma coisa sua que ficou em mim,
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingénua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás

 

 

Ney Matogrosso




Alice Alfazema

Filme de um dia

Setembro 24, 2013

Alice Alfazema

As pessoas falam de outros países, enquanto deitam lixo para o chão. As pessoas ralham sem saberem daquilo que falam, exigem sem nada darem em troca. Querem uma sociedade diferente, mas esperam, esperam que alguém tome a iniciativa. Estacionam em cima de passeios, atropelam-se, enganam, mentem a troco de favores. E esperam a mudança no sofá da sala em frente ao televisor. Criam calo de tanto esperar e continuam falando, falando, falando, gritando, mentindo, e acreditando que isto é mudança.

 

Alice Alfazema

Pág. 1/5

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

O meu cão é um amor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D