Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Viva 2012 com charme e otimismo

Dezembro 31, 2011

Alice Alfazema


Lembre-se que não é a cor das cuecas que faz a diferença, é a nossa atitude. O otimismo é a semente ideal para recomeçar em grande. Os pequenos nadas são a diferença entre nós e os outros. Esperar que façam por nós aquilo que queremos da vida é inútil, e as mudanças só acontecem quando há querer, e querer significa - poder. O que queremos é importante só para nós, pois existem quereres diferentes e necessidades diversas. Pensar é um ato endeusado pense e torne-se Deus. O lado bom da vida, não é a vida dos outros, mas a nossa, reclamações são antónimos de ações. Observe e divirta-se, o mundo é fantástico para quem aproveita as diferenças, brinde e agradeça, a vida lhe retribuirá - acredite. Ponha de lado as lamurias e dance com a alegria, olhe para a história e veja que em muitas outras épocas, já outros obstáculos foram ultrapassados, utilize a cidadania e focalize a energia no lado positivo - verá que é menos desgastante, não se menospreze - todos somos fortes e fracos, vença os seus medos e tornar-se-á mais forte.

 

 

 

 

Bom 2012

 

Deixo-vos este espumante, para que quem aqui passe possa brindar a um ano maravilhoso - de muitas mudanças e alegrias.

Saúde  e sonhos concretizados para todos vós que aqui me visitam e que me fazem companhia com os vossos comentários, para aqueles a quem visito e para as mulheres com charme deixo um brinde especial - Saúde!!!

 

 

 

"Produzido segundo o método clássico e resultado de uma maturação tranquila nas caves da Borges, transmite a harmonia entre a delicadeza e o poder. O Fita Azul Woman distingue-se pela sua exuberância aromática, integrada numa doçura refrescante. É a proposta ideal para as mulheres com charme."

 

Ver mais em: Vinhos Borges

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

Coentros

Dezembro 29, 2011

Alice Alfazema

 

 

As pequenas preciosidades estão onde menos se espera, para onde não se olha, naquilo que parece não ter valor. Neste recanto do jardim, onde o terreno parece baldio, mas onde os coentros nascem, para dar sabor e energia, à comida que se quer deliciosa. Juntos convivem com os trevos e a hortelã, e talvez um raminho de salsa...harmonia.

 

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

Filhoses apanhadas (e comidas) por aí...

Dezembro 25, 2011

Alice Alfazema

 

 

 

 

Natal é tempo de partilha e de reflexão, de poder de novo  mudar, de tentar de novo, tal como a Natureza o faz.

 

Olhar para uma mesa de Natal é ver o carinho e comer o amor daqueles que tiveram o cuidado de preparar iguarias para partilhar. Um doce não significa apenas farinha e ovos misturados com outros ingredientes. Ele é toda a energia de quem o fez, os seus pensamentos, a sua amizade, alegria; é como um sol enfeitado com açúcar!

 

Deixo-vos aqui estas filhoses, que me foram oferecidas e que contém tudo aquilo que aprecio e ao qual dou valor - amizade, carinho, lembrança, mimo. Este Natal recebi muito mimo. Para todos aqueles que me ofereceram isso o meu imenso obrigada, sejam  eles amigos reais ou virtuais é de pequenas lembranças que gosto e com as quais me identifico.

 

 

Que a vida vos sorria e a Natureza vos dê exemplos de renovação, nunca é tarde para recomeçar, mesmo que pareça inutil. É aí que mora a força e a auto-estima.

 

 

 

 

Abraço e Feliz Natal

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

Feliz Natal

Dezembro 20, 2011

Alice Alfazema

 

 

 

"A vida é como um cobertor demasiado pequeno.  Puxa-se para cima e fica-se com os pés de fora, sacudimo-lo para baixo e ficamos a tremer de frio nos ombros; mas as pessoas bem dispostas conseguem encolher os joelhos e passar uma noite muito confortável!"

 

 

Marion Howard

 

 

 

 

Feliz Natal para todos os que aqui  passaram, passam, comentam e que voltam.

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

Produtos de Portugal (23)

Dezembro 16, 2011

Alice Alfazema

 

 

 

Com mais de 125 anos de história, a Fábrica Mel-de-Cana Ribeiro Sêco de V. Melim, Lda é uma referência na produção de mel-de-cana, um produto que cruza a sua identidade com a própria identidade da Ilha da Madeira.

 

Logo depois do descobrimento da ilha, em 1419, este espaço afirmou-se entre os produtores de cana-de-açúcar, actividade que se tornou basilar no desenvolvimento e prosperidade da Madeira. Desde então e até hoje, o brasão da cidade do Funchal guarda como armas os cinco pães de açúcar.

 

A produção de açúcar, mel-de-cana e aguardente atingiu o seu expoente máximo nos séculos XV e XVI, pois ainda que os 33 engenhos fossem de pequenas dimensões, muitos estrangeiros afirmavam que o açúcar da Madeira era o melhor do mundo.

 

No século XVIII, depois de um período menos bom, apenas laborava o engenho da Ribeira dos Socorridos. Importante no revitalizar deste produto, este engenho foi o “pai” da Fábrica Mel-de-Cana Ribeiro Sêco, cujos registos históricos unem por relação familiar.

 

Em 1883, nasce o engenho do Ribeiro Sêco, pelas mãos de Aluísio César Bettencourt, mas é na direcção de seu filho, Luís Vogado Bettencourt que o nome desta fábrica se confunde com o próprio mel.

 

Ver mais aqui: Fábrica do Ribeiro Sêco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alice Alfazema

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

O meu cão é um amor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D