Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

"Administrar o tempo é planejar a vida"

Outubro 24, 2010

Alice Alfazema

Do artigo, "Administrar o tempo é planejar a vida", de Eduardo O C Chaves

 

"...NUNCA vamos ter tempo para fazer tudo o que precisamos fazer."

 

"...algumas tarefas que temos de realizar não são seleccionadas por nós, mas nos são impostas."

 

"Quando aceitamos um emprego, estamos na realidade, nos comprometendo a ceder a outrem o nosso tempo (e, também, o nosso esforço, a nossa capacidade, o nosso conhecimento, etc)."

 

"...não somos donos de boa parte do nosso tempo."

 

"Todos os dias cada um de nós recebe exatamente 24 horas (a menos que seja o último dia de nossas vidas): nem mais, nem menos. Rico não recebe mais do que analfabeto, executivo não recebe mais que operário."

 

"...é um recurso altamente perecível."

 

"Quem tem tempo não é quem não faz nada: é quem consegue administrar o tempo que tem, de modo a fazer aquilo que quer."

 

"Administrar o tempo, em última instância é planejar estrategicamente a nossa vida."

 

"...explorar as alternativas específicas disponiveis para se chegar onde queremos chegar."

 

"...precisamos estar constantemente avaliando os meios qua estamos usando..."

 

"Se não, troquemos os meios..."

 

" Se você não sabe onde quer chegar provavelmente nunca vai chegar lá por mais tempo que tenha."

 

" Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo."

 

" Basta um pouco de esforço e determinação."

Canela

Outubro 19, 2010

Alice Alfazema

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Existem relatos de textos chineses que referem o uso da canela como planta medicinal, há já 4mil anos atrás. Em tempos antigos, as especiarias eram consideradas tão preciosas que costumavam ser religiosamente guardadas e fechadas à chave. O seu uso era um sinal de riqueza, inacessível a grande parte da população.

Beija-flor

Outubro 17, 2010

Alice Alfazema

 

Há muito tempo, houve um incêndio na floresta, todos os animais fugiram, numa corrida louca, em busca de um lugar seguro.

O elefante ia na frente, quando vê um Beija-flor a voar na direcção do incêndio.

- Beija-flor, não vás nessa direcção, a floresta está a sofrer um incêndio, devastador. -Disse o elefante.

-Tenho de ir, levo uma gota de água no bico, para apagar o incêndio.

- Uma gota de água?!Uma gota de água?!O que fazes com uma gota de água?

- Eu faço a minha parte! 

 

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

O meu cão é um amor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D