Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alice Alfazema

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Recortes do quotidiano: do meu, do teu, do seu, e dos outros.

Acabou-se

nariz.jpg

 

 

Cá em casa acabou-se a paz de sorrateiramente irmos ao frigorífico sem ninguém dar por isso. De rapinarmos uma fatia, ou duas de fiambre. De abrirmos um pacote de bolachas em silêncio e no escuro da despensa. Acabou-se o - sem termos que repartir. Acabou-se! Nunca mais foi permitido fingir que não estamos a mastigar. Cá em casa há um nariz que vale por mil olhos. 

 

Alice Alfazema

Conversas da escola - Ó mãe acorda para a vida!

Conversa com um miúdo de doze anos:

 

- Então fazes tu o teu lanche.

- Não posso, porque posso cortar-me.

- Pegas numa faca, daquelas de cortares o bife...

- Lá em casa só os meus pais é que têm talheres de metal, os meus são de plástico.

- Tens de dizer à tua mãe - ó mãe acorda para vida, eu já não tenho três anos, daqui a nada está a crescer-me o bigode...

 

 

Alice Alfazema